Entrar

Login para a sua conta

Senha
Neste artigo explicaremos o funcionamento do conjunto conhecido como Trio - elétrico, formado pelas funções alarme,Travas elétricas e Levantadores Elétricos dos Vidros. Além destes três opcionais, trataremos do sistema de Imobilização do Motor.

O Trio-Elétrico, como é normalmente chamado no Brasil, tem como objetivo principal aumentar o conforto do motorista e de seus passageiros. A procura por este opcional é intensa. No geral, deseja-se o Alarme por uma questão de segurança do veículo e dos objetos deixados dentro dele, as Travas Elétricas para facilitar a abertura e fechamento das portas e os Levantadores Elétricos dos Vidros também por questão de conforto e comodidade. A figura 1 mostra como têm se comportado a maioria dos segmentos de automóveis no Brasil. No geral percebemos uma grande procura por modelos equipados com o trio-elétrico.



Figura 1 – Estimativa de procura de modelos em relação aos opcionais

Se analisarmos outros países, como por exemplo os europeus, perceberemos um comportamento diferente dos consumidores. O Alarme praticamente não é solicitado no momento de se comprar um veículo, isso em razão dos baixos índices de furto na região. Apesar de sempre solicitarem as Travas Elétricas, pela questão do conforto, os europeus costumam comprar seus carros com Vidros Elétricos somente nas portas dianteiras. Nas portas traseiras, geralmente, o sistema mecânico é o utilizado.

No setor automotivo, especificamente na Engenharia de Produtos das montadoras de veículos, cada sistema integrante do conjunto Trio-Elétrico tem uma sigla que o identifica. Vamos a elas e aos detalhes de cada sistema:

ATWS = Anti Theft Warning System – Sistema de Alarme Anti-Furto
CDL = Central Door Locking – Central de Travas
PWL = Power Window Lifter – Levantador Elétrico dos Vidros

ALARME E IMOBILIZADOR DE MOTOR

A função deste sistema é proteger o veículo e seu interior contra furtos. Neste sentido, vários sensores são utilizados para monitorar as regiões por onde uma pessoa pode acessar o veículo. As partes do carro monitoradas, os sensores normalmente utilizados e os locais onde estes sensores são geralmente instalados são mencionados a seguir:

Porta do Motorista – Utiliza-se normalmente um Interruptor, instalado na região da dobradiça da porta (região esta conhecida como “Coluna A – Lado Esquerdo”).

Porta do Passageiro Dianteiro
– Também um Interruptor, instalado na região da dobradiça da porta (“Coluna A – Lado Direito”).

Portas dos Passageiros Traseiros – Interruptores, instalados na região das dobradiças das portas (“Coluna B – Lado Direito” e “Coluna B – Lado Esquerdo”).

Tampa do Porta-Malas – Interruptor, instalado na própria Tampa do Porta-Malas.

Capô (Compartimento do Motor) – Interruptor, instalado geralmente sobre a Torre do Amortecedor ou próximo do painel que separa o compartimento do motor do compartimento dos passageiros.

Vidro Traseiro (ou Vigia) – Emprega-se o sistema Desembaçador do Vidro (os filamentos vistos no vidro traseiro) como um Sensor de Quebra de Vidro.

Vidros Laterais e Dianteiro (Pára-Brisa) – Usa-se um Sensor Ultrasônico (ou simplesmente Ultra-Som), instalado no teto do veículo, na região da Luz de Leitura Dianteira (este sensor monitora se algo ou alguém invadiu o veículo; após uma eventual quebra dos vidros laterais ou dianteiro, por exemplo).

Os sinais dos Interruptores e dos Sensores são lidos por um Módulo Eletrônico, que processa tais informações e determina se o alarme sonoro do carro (buzina ou sirene) deve ou não ser disparado. Vejamos a seguir, na figura 2, um exemplo de Sistema de Alarme com todos os seus componentes. Perceba que todos estão conectados à peça 10. Este é o Módulo Eletrônico de Controle, mencionado anteriormente.



Figura 2 – Componentes e Ligações do Sistema de Alarme


As figuras 3 e 4 mostram dois exemplos de Módulo de Alarme automotivo. Um deles já está equipado com alguns fusíveis de proteção sobre a sua própria estrutura. O outro, em contrapartida, deverá ser protegido por fusíveis localizados na Caixa de Fusíveis do veículo.


Figura 3 – Exemplo de Módulo de Alarme





Figura 4 – Exemplo de Módulo de Alarme, com Fusíveis incorporados


A tabela 1 relaciona cada um dos componentes apresentados na figura 2.



Tabela 1: Componentes do Sistema de Alarme

Relembrando, um Módulo Eletrônico funciona como um computador, lendo e processando entradas e comandando saídas em função de um programa internamente gravado. O programa que controla um Sistema de Alarme está preparado para lidar com todas as possibilidades deste sistema. É um programa dedicado a esta aplicação.

A figura 5 ilustra um kit básico de Alarme contendo um Módulo Eletrônico, uma Sirene, dois Controle Remotos e uma certa quantidade de Chicote Elétrico para viabilizar a instalação.



Figura 5 – Exemplo de Kit de Alarme

A Figura 6 exibe um exemplar de Sensor Ultra-sônico. Neste caso, as luzes de leitura foram incorporadas ao sensor, formando um conjunto que pode ser montado na parte frontal do teto. As duas regiões em preto são as cápsulas de transmissão e recepção de ultra-som.




Figura 6 – Sensor Ultrasônico com Luzes de Leitura incorporadas

Antes de irmos adiante e abordarmos o Sistema de Travamento Central (ou Travas Elétricas), gostariamos de deixar algumas informações sobre um outro sistema que dificulta o furto de veículos. É o chamado Imobilizador do Motor.


Uma antena conectada a um Módulo Eletrônico e instalada na região do Cilindro de Ignição, lê informações existentes em um pequeno chip (chamado de Transponder), localizado dentro da chave do veículo, toda vez que uma partida é solicitada. Caso a chave utilizada na tentativa da partida, mesmo que seja uma cópia mecânica da original, não for eletronicamente compatível, a partida é bloqueada e o veículo imobilizado. Como curiosidade, saiba que a comunicação entre a Antena e o Transponder é feita por um link indutivo de, geralmente, 125 kHz (também podem ser utilizadas outras freqüências). A figura 7 apresenta os componente contidos em um Sistema de Imobilização do Motor.




Figura 7 – Exemplo de Imobilizador de Motor


TRAVAS ELÉTRICAS


Módulos eletro-mecânicos formados por pequenos motores elétricos e algumas engrenagens são instalados nas portas do veículo, ficando responsáveis pelo destravamento, travamento e, eventualmente, pelo travamento mecânico das portas. Vejamos os termos utilizados para descrever este sistema.

Unlock – Destravar – Significa liberar mecanicamente as portas para que elas possam ser efetivamente abertas através das maçanetas internas ou externas.

Lock – Travar – Significa travar as portas, impedido a abertura das mesmas pelas maçanetas externas (as maçanetas internas podem ser utilizadas em condições específicas, variáveis de carro para carro).

Deadlock ou Deadbolt – Travamento Mecânico – Representa uma proteção adicional ao veículo e ao seu interior. Com o Deadlock acionado, as portas não podem ser abertas pelas maçanetas externas nem internas. Este sistema está relacionado à segurança do veículo e não ao conforto propriamente dito. Além disso, não é encontrado em todos os Sistemas de Travas Elétricas disponíveis no mercado.

Vejamos na Figura 8 um exemplo de Fechadura, com seu pequeno motor elétrico e algumas engrenagens.




Figura 8 – Fechadura e seus Componentes Elétricos


Nas Figuras 9 e 10 encontramos os diagramas elétricos de alguns tipos de fechaduras. A diferença entre os dois diagramas está no fato da peça utilizada na Porta do Motorista ter um micro-switch adicional, relacionado ao cilindro de chave existente nesta porta. Ambos os exemplos consideram dois motores elétricos, um para travar e destravar as fechaduras e outro para realizar a função deadlock. O componente responsável pelo controle destas fechaduras elétricas é o Módulo de Travas, representado pelo componente 14 na Figura 11, que apresenta os principais componentes e ligações do sistema de Travas Elétricas. A tabela 2 relaciona cada um dos componentes apresentados neste sistema.




Figura 9: Fechadura – Porta do Motorista






Figura 10: Fechadura – Portas dos Passageiros





Figura 11 – Componentes e Ligações do Sistema de Travas Elétricas




Tabela 2 - Componentes do Sistema de Travas Elétricas

Perceba que, além das fechaduras das portas, temos outros três atuadores no sistema.

Atuador Portinhola de Combustível – Controla o acesso ao bocal de abastecimento de combustível.

Atuador Tampa Traseira – Controla o acesso ao Porta-Malas.

Atuador Destranca Porta-Malas – Efetua o destrancamento da tampa traseira mediante um comando interno do motorista (pelo Interruptor Destranca Porta-Malas) ou por um comando via Controle Remoto da Chave.


* Originalmente publicado na revista Saber Eletrônica Ano 42 - N°399 - Abr/2006.